liturgia diaria santo do dia
Diocese Redentoristas
Facebook CNBB  
Radio Educadora
padres 01 padres 09
padres 01 diacono
padres 09 padrejcc

Artigos escritos pelo Pe. Claudio C.Ss.R.

pescadorO pescador constrói o seu caminho.

Abre em águas turvas um novo viver.

Percorre sem alarde

Lugares, lagares sempre novos.

Cada rede lançada faz a vida fluir:

Agilidade, fluidez, policentrico.

Interage com o mundo

Buscando pluralidade.

Vai o pescador sempre a conquistar.

A rigidez não faz parte.

No balanço das águas

O horizonte,

A liberdade,

O sustento.

Ação que corta o ar

Quando um peixe bom solta rede a fora.

O pescador transfigura diante do mar

E nasce a alegria do viver.

Esperança sempre ultima.

Pe. José Claudio, CSsR.

rioO rio que avança.

Conduz no leito eterno

Estradas,

Desejos acumulados no vaso fragil.

Difundindo essências preciosas,

Daqueles que olham em frente

buscando o porque de tanta beleza.

Leia mais...

denteGente tem dente

Mas quem não tem dente é gente?

Dente

Gente.

Dente quando nasce

Coça, roça, dói.

Gente quando nasce

Chora, chora e até resfria.

Coça, roça, dói, chora, respira.

Dente cresce,

Cai e renasce.

Gente cresce e como dói.

Gente cai e levanta.

Gente morre, renasce. Mas não vem.

Dente renasce e vem.

É melhor ser gente ou ser dente?

Mas...

Gente sempre quer dente.

Pe. José Claudio, CSsR.

skpa 0023Presença diáfana

Fonte inspiradora

Mãe bondosa que conduz o ser.

Responde com humor as violações impostas.

 

Natureza,

Doar-se constante sem medida.

Apelo singelo e vibrante

ao mundo que vocifera

desamor.

 

Constrói vida gerando vida

Via do fruto bom.

Evoca esperança

nos recônditos obscuros.

Devir,

possibilidade,

realidade.

 

Ensina a lição

do voltar-se sempre a Deus,

pois no teu recato

paira a mão do criador.

 

Olhando em frente

convoca o homem a caminhar

robusto,

orante.

Diante de seu presença diáfana

desvelando a cada passo.

 

Pe. José Cláudio CSsR.

untitledEm alguns momentos aproveitarei este espaço para meditarmos e rezarmos com alguns místicos contemporâneos. Eis um grande texto de Henri Nouwen, que nos ajuda a tornar terno a aridez da nossa cultura. Boa meditação!

 

Refletir o perfeito amor de Deus

 

O amor de Deus por nós é eterno. Isso significa que existiu antes de nosso nascimento e existirá após nossa morte. Ter uma vida espiritual nos chama a afirmá-lo, de forma que possamos viver nossos amores temporais - pelos pais, irmãos, irmãs, professores, amigos, esposos, esposas e todos as pessoas que se tornam parte de nossa vida - como reflexos ou refrações desse amor eterno de Deus. Nenhum pai ou mãe pode amar seus filhos de modo perfeito. Nenhum marido ou esposa pode amar um ao outro com amor ilimitado. Não há nenhum amor humano que não seja rompido em algum lugar.

Quando nosso amor rompido é o único amor de que dispomos, facilmente somos lançados ao desespero; mas, quando podemos viver nosso amor rompido como um reflexo parcial do amor perfeito e incondicional de Deus, então é possível perdoar as limitações uns dos outros e desfrutar juntos o amor que temos a oferecer.

 

FONTE: Pão para o caminho.

o-tempoEternidade tu és.

Revela minha intimidade

na solidão que desperta

a busca original de ser: Tempo.

Passado,

Presente,

Futuro.

Trindade uma.

Leia mais...

ipeSomos convidados neste tempo litúrgico a progredir no conhecimento de Jesus. Esta caminhada de 40 dias é uma oportunidade ímpar de tentarmos responder para o nosso coração a pergunta: Quem é Jesus?

 

Para isto, amigo internauta, caro paroquiano, devemos colocar 4 eixos fundamentais para nossas reflexões:

 

1º - Jesus sendo totalmente divino abraça a humanidade. Deus gosta de ser gente. Jesus é humano exceto no pecado.

 

2º - Se Jesus encarna é porque deseja e quer que sejamos divinos. Viver a Quaresma é abraçar a humanidade de Jesus, nossa humanidade e assim nos divinizar.

Leia mais...

caminhar01Quem vai lá levando o tempo, todo azul

criando em cada espaço a luz, lua a brilhar.

Sentimentos nobres esvoaçando

contra o vento, brisa leve canção.

 

Quem é este que chega,

Descansa no leito frondoso

Repousa o corpo frenético de

sonhos realizados, por vir.

 

Traz na bagagem novos contos,

novas histórias, vida mil, vida nascente.

Quem é este que vai

enxugando todo o pranto

levantando poeira santa

afundando, afogando pés.

Ao som da viola e do tambor.

Fazendo aquarela magia a surgir.

 

Somos parte deste povo (que segue)

na reta curva da vida.

Para plantar a nova era.

Que embale na força do olhar o seu grito de alerta.

Saudando viva liberdade!

 

Pe. José Cláudio CSsR.