liturgia diaria santo do dia
Diocese Redentoristas
Facebook CNBB  
Radio Educadora
padres 01 padres 09
padres 01 diacono
padres 09 padrejcc

Agosto chega ao fim e neste ultimo domingo a Igreja celebra a vocação de ser catequista. Vocação de conduzir nossas crianças na fé. Ser catequista é exercer a pedagogia do amor, ou seja, testemunhar no dia a dia a experiência amorosa de Jesus.

            Na verdade, todos nós temos a vocação de sermos catequistas. Os pais em primeiro lugar. Maria de Nazaré foi a primeira catequista. Jesus tendo um ouvido de discípulo, escuta com carinho e atenção os ensinamentos de sua mãe.

            A vocês catequistas de nossa paróquia, um muito obrigado. Gratidão pelo dia de vocês. Continuem conduzindo nossas crianças e adultos na fé. É preciso sempre encantar-se por Jesus e assim, fazer com que a palavra de Deus seja plausível para todas as pessoas. Viva a alegria de ser catequista.

Agosto se vai. Que venha setembro com o calor da primavera e alegria do viver.

 

Pe. José Claudio, CSsR.

sebastiao-salgado-exodos-3Travessia que conduz a aliança

ouvindo ao longe a voz de Deus

que oferece a mão convocando a ir em frente

a marchar

a caminhar.

Leia mais...

A palavra de Deus é uma grande parábola dentro de nós. Os personagens bíblicos moram dentro de nós. É preciso um olhar fixo em Jesus para percebermos a realidade de Deus.

Quando olho o meu irmão e desperto nele o que ele tem de melhor, quando gosto de gente, vivo o amor ao diferente.

Leia mais...

A tradição Judaica nos ensina que dentro de um ambiente familiar a comunicação oral é muito importante. É preciso que nossas famílias cultivem o gosto pelo diálogo, pela palavra.

Leia mais...

A pergunta do jovem é pertinente: "Mestre, o que preciso fazer para ganhar a vida eterna?" Jesus na resposta vai além. É preciso mais do que cumprir a lei. É necessário viver na liberdade e na gratuidade.

Quando Jesus diz, vai e vende tudo o que tem, é para vivermos a alegria do desapego. Só uma pessoa desapegada consegue ser livre e fiel em Cristo.

Este é o convite que Jesus faz a todos nessa semana em que somos convidados a viver. Sejamos livres e fiéis em Cristo para vivermos e sentirmos o grande amor do nosso Deus.

Uma boa semana e que a benção do Senhor seja despertada em seu coração.

Pe. José Claudio, CSsR.

ArquivoExibirEstou lendo um livro, em que cada leitor da Igreja atual, deveria ter em mãos. "As 10 heresias do catolicismo atual". O autor, GonzalezFaus, com toda a sua competência intelectual e espiritual nos faz penetrar numa teologia bem elaborada e aplicada na prática pastoral e nos desafios da Igreja hodierna.

Leia mais...

familia-672x372            Vivemos num mundo plural e numa mudança de época. Os valores parecem flutuar no tempo e não possuem a solidez de outrora. É preciso sensibilizar nossas famílias para um novo jeito de estar no mundo.

            É por esse motivo, que a CNBB nos oferece no mês de agosto um tempo de reflexão sobre a família. O tema deste ano é: "O amor é a nossa missão: a família plenamente viva." No amor podemos iluminar um novo caminho.

Leia mais...

teología-da-libertaçãoReservo este espaço para uma pergunta inquietante da cultura atual: Deus, onde estás?

Pode ser uma indagação tola, mas um questionamento que muda o itinerário de uma vida.

            Responder que Deus está em toda a parte já não satisfaz mais. É preciso uma nova postura de pensar e de experimentar o amor de Deus. É necessário valorizar a experiência humana. O homem (quando digo isso, digo também a mulher) deve ser o ponto de partida da pergunta da fé, da sua experiência indo ao encontro com Deus. É o homem que caminha para Deus dando sentido a sua vida. Deus já veio, sempre vem. Mas, se a experiência não parte do coração humano não ganha sentido na cultura atual.

            Começar de Deus para explicar se vale a pena ter fé é complicado. A pergunta pela necessidade do homem qualifica o mundo e "enobrece ainda mais Deus". Este modo de pensar valoriza ainda mais o fazer teologia.

            Hoje, com toda essa pluralidade, homem e Deus devem caminhar de mãos dadas. Que tal valorizar ainda mais a antropologia? Assim, estaremos falando mais de Deus ao homem pós moderno.

 

Pe. José Claudio Teixeira, CSsR.